Quem sou eu

Minha foto
Maricá - Itaipuaçu, Rio de Janeiro, Brazil
Sou poetisa, cantora, compositora e amante das artes.

segunda-feira, 29 de junho de 2009


UMA NOITE
(Beatriz Oliveira)

Tudo o que lhe peço é uma noite.
Uma noite de ilusão e fantasia
Em que você me ame e eu lhe ame
Com profundidade e maresia.
Sei que não sou digna do seu abraço,
Nem do seu olhar sobre o meu corpo farto,
Mas levarei você ao paraíso,
Se me der uma só noite no seu quarto.
Farei de você um príncipe menino
A ter satisfeitas todas as vontades:
Sorrisos, brincadeiras, doces,
Carinhos, segredos, inverdades...
Olharei para o homem belo
E pensarei lhe impor mil tormentos
Que lhe farão meu, por gosto.
Farei apimentados todos os momentos
De boca, língua e dedos ágeis.
Beijarei, sem pressa, sua pele toda,
Fazendo arrepiar seus pelos frágeis
E tremer seus músculos, de ansiedade.
Tocarei sua alma com minha paixão desvairada,
Numa noite. Uma noite só. A noite inteira.
Percorrerei seu corpo de cima a baixo
E vice-versa, com os olhos, com as mãos,
Com o que você pedir.
Me envolverei em seus cabelos, desesperada,
Pelo seu toque e pelo seu sexo, até você sucumbir.
Poderá ser claro ou escuro o quarto, você decide.
Poderá ser doce ou angustiado, súdito ou rei.
Qualquer coisa que pedir, eu farei.
Eu serei a sua Eva,
Pecadora, condenada e perdida num eterno açoite,
Que há de se transformar num belo verso.
Uma noite...
É só isso que eu lhe peço.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

QUE HOMEM? (Beatriz Oliveira)


Que homem tu és?
As palavras borbulham na minha mente.
Peri? Dante? Homem-Aranha?
Selvagem, perdido, indiferente...
Quisera um canto do teu pensamento,
Quiçá, teus olhos nos meus.
Promessas de político em campanha
Ou espírito de luz em arrebatamento...
Que homem tu és, que me importa?
Leva-me, antes que morra o meu coração,
Que anda cansado, o pobre,
De tão apáticas mouquices.
Leva-me pra sempre em tua pele,
Em tua boca, me revele
Leva-me por um sem fim de sons e,
Mesmo mouco,
Caminhando nessa vida, feito um louco,
Será como se me olhasses e me ouvisses.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

MOEDA DE BRONZE (Beatriz Oliveira)















Na primeira vez que vi a moeda,
Meus olhos se fixaram e
Minha boca, em queda, murmurou:
“Que lindo...”
Senti meu coração se abrindo
Para a riqueza do novo,
Para uma nova visão.
O belo leva a evoluir!
E admirar você faz
Do belo em mim erupção.
Sinto a ambição,
Através do tato dos meus olhos,
Nas moedas de bronze no seu peito.
Sinto-me fêmea sob o seu olhar tranqüilo...
Fêmea indócil, salivando na intenção
Do sabor do seu pequeno mamilo.

terça-feira, 16 de junho de 2009

SEU CHEIRO (Beatriz Oliveira)



Eu gosto de cheirar seu hálito, enquanto te beijo.

Gosto de sentir a mudança de quando

O perfume vai cedendo lugar ao suor.

Eu gosto de cheirar seus braços, sua barriga...

Suas coxas e virilha.

Gosto de cheirar seu sexo.

Finjo-me, nessa hora, uma loba feroz,

Guiada pelo puro instinto.

Gosto demais da conta

De como você se larga quando eu te cheiro.

Inteiro.

De parte em parte.

terça-feira, 2 de junho de 2009


Salmo 8:1
Ó Senhor, Senhor nosso, quão admirável é o teu nome em toda a terra, tu que puseste a tua glória dos céus!

Salmo 8:2
Da boca das crianças e dos que mamam tu suscitaste força, por causa dos teus adversários para fazeres calar o inimigo e vingador.

Salmo 8:3
Quando contemplo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as estrelas que estabeleceste,

Salmo 8:4
que é o homem, para que te lembres dele? e o filho do homem, para que o visites?

Salmo 8:5
Contudo, pouco abaixo de
Deus o fizeste; de glória e de honra o coroaste.

Salmo 8:6
Deste-lhe domínio sobre as obras das tuas mãos; tudo puseste debaixo de seus pés:

Salmo 8:7
todas as ovelhas e bois, assim como os animais do campo,

Salmo 8:8
as aves do céu, e os peixes do mar, tudo o que passa pelas veredas dos mares.

Salmo 8:9
Ó Senhor, Senhor nosso, quão admirável é o teu nome em toda a terra!
Ocorreu um erro neste gadget