Quem sou eu

Minha foto
Maricá - Itaipuaçu, Rio de Janeiro, Brazil
Sou poetisa, cantora, compositora e amante das artes.

terça-feira, 28 de abril de 2009




Minha vida anda repleta de universos

que se rasgam e depõem nos meus versos,

quais profetas, muito mais que embriagados,

cheia de sorrisos e de planos,

como se conhecesse os segredos dos arcanos,

ainda tão velados...

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Às vezes, nós não percebemos

as nossas qualidades
porque

conhecemos muito profundamente

os nossos defeitos.

(Beatriz Oliveira)

quarta-feira, 22 de abril de 2009




A etérea essência das emoções

embota a mente que pensa,

envolvendo o corpo numa aura de rendição

que me faz intensa.

(Beatriz Oliveira)



Muito Intensa
(
Fátima Guedes)
Por você


Eu raspo pernas, raspo braços

Passo perfume de alfazema

Batom suave

Oferenda dos meus lábios

Um rito, um sensual poema

No poema eu ando nua

Toda rósea, toda etérea

Toda sua.

Você pensa que eu sou fácil

Muito intensa, muito dócil,

Muito grácil ...



Quem nunca chora é como quem nunca ri:

Vive a vida pela metade e

nunca se conhece por inteiro.

(Beatriz Oliveira)

terça-feira, 21 de abril de 2009

JARDIM NEGRO (Beatriz Oliveira)


Há rosas negras no meu jardim.
Toda madrugada, antes de o sol nascer, eu me preparo para um novo dia, pintando-as de branco, azul, amarelo e vermelho.
Quem visita o meu jardim, elogia as cores vibrantes das minhas rosas, sem saber que são pinturas, artificiais. Eu sorrio e agradeço a gentileza, mantendo o sorriso trêmulo a já se desfazer.
Também visito jardins coloridos e percebi, ultimamente, em vários deles, o negrume em algumas rosas mal pintadas. Penso que a juventude me embotava o olhar e eu, freqüentemente, pensava que só eu tivera a estupenda idéia de colorir meu negro.
Percebo, hoje, que há rosas negras em todos os jardins e que ninguém nota o meu sacrifício porque todos estão preocupados com o seu próprio sacrifício.
Que pretensão a minha, achar que eu era tão especial e tivera sido escolhida pela escuridão!
Todos fomos escolhidos, a exercitar a colorida luz.
Então, eu pinto delicada e minuciosamente as rosas, colorindo o meu jardim negro, fazendo-o falsamente luminoso, a despeito da negrura da minha casa e atendo os visitantes no portão.
Ninguém pode entrar!
Quem entrou, não gostou...
Ninguém mais pode entrar...!!!

National Geographic POD